GUIA DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS, E O DIA DA TOALHA!

Leitura e HQs | Por Lucas Fowl | Em 25/05/2015

Alguém aí já leu o Guia do Mochileiro das Galáxias? Os cinco livros de Douglas Adams? E o sexto, escrito pelo Eoin Colfer, já viram, já leram? Conheça um pouco sobre essa famosa série de livros que faz parte da cultura nerd e mais, saiba o porquê da Toalha ser o item essencial em uma viagem pelo espaço!


GUIA DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS, E O DIA DA TOALHA!

Vamos falar um pouco sobre o tal de Dia da Toalha? Alias, porque a Toalha é tão útil quando estamos viajando pelo espaço? Entenda tudo e saiba de mais uma recomendação dos Cavaleiros: O Guia dos Mochileiros das Galáxias!

Já falamos sobre o Dia do Orgulho Nerd, e foi citado o Dia da Toalha. E é justamente por causa da “Toalha” que venho falar sobre uma trilogia de cinco livros tão famosa nesse universo que conhecemos como Cultura Pop/Nerd/Geek.

A trilogia de cinco livros, escritas por Douglas Adams, um dos pais da ironia das histórias de ficção cientifica e da galáxia, o Guia do Mochileiro das Galáxias (The Hitchhiker's Guide to the Galaxy), livros publicados de 1979 até 1992 por Douglas (1951 - 2001), ateísta, apaixonado por tecnologia e com o um incrível sendo de humor (chegou a escrever algumas das esquetes apresentadas pelos fabulosos Monty Python’s Flying Circus). Os livros carregam consigo uma hilária aventura pelo espaço - e pelo tempo -, de maneira cômica e ironizada sobre as teorias da física, conspiratórias, e claro, sobre a humanidade. Em 2013 o Google homenageou o escritor com um doodle com a frase: “Não Entre em Pânico”.


Foi lançado também um sexto livro, escrito por Eoin Colfer (autor de “Artemis Fowl), que com a autorização de Douglas Adams, ganhou a chave para continuar as aventuras dos mochileiros. Antes de falar sobre os livros em sí, preciso explicar o motivo pelo qual “Dia da Toalha”. Algumas pessoas me perguntam o motivo pelo qual ‘puxam tanto saco’ ou ‘pagam tanto pau’ para a Toalha no Guia do Mochileiro, e eu explico:


No primeiro livro encontramos as utilidades para ela em um texto que está contido no próprio Guia do Mochileiro das Galáxias. Segundo o livro, a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar, ajuda no imenso valor psicológico quanto no valor prático, você o usa como agasalho, nas luas frias de Beta de Jagla, pode deitar-se sobre a toalha nas praias de areia marmórea de Santragino V, usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas e pesadas do rio Moth, umedecê-la e utilizá-la para lutar em um combate corpo a corpo, fazer de turbante para proteger-se de emanações tóxicas ou evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal, pedir socorro em situações de emergência e as vezes também pode usá-la para enxugar-se (se estiver razoavelmente limpa).


Entendido agora o motivo pelo qual temos o Dia da Toalha? Se interessou pelo livro? Continue lendo:


O Guia do Mochileiro das Galáxias é um livro escrito por diversos viajantes de diversos planetas, ele é uma espécie de “tablet” (na época quando o livro foi escrito, não existia ainda, portanto, é mais ou menos isso, um livro digital), e em sua capa está escrito: NÃO ENTRE EM PÂNICO, portanto, se você tem um Guia do Mochileiro das Galáxias em mãos, não precisa se preocupar com nada, tem a resposta para tudo. Ok, para quase tudo. A trama é desenvolvida em torno da brilhante resposta à pergunta que todos nós sempre nos questionamos: 42.

O número 42 é a resposta para a pergunta: Qual é o segredo da vida, do universo e tudo mais?


É claro que, as pessoas que construíram o super computador que pudesse responder essa pergunta ficaram decepcionados, e perguntaram ao computador qual era o sentido daquela resposta, e ele respondeu que poderia desenvolver uma outra máquina que enfim poderia encontrar a Pergunta correta, para a resposta que eles precisavam descobrir. Que máquina é essa? Não darei Spoiler sobre isso!.


O livro começa com Arthur Dent tentando impedir que destruam a sua casa para a construção de uma nova rodovia, logo em seguida é convencido por um amigo esquisito chamado Ford Prefect à irem tomar uma cerveja e comer amendoins, afinal de contas, precisavam conversar algo muito sério. Não demora muito para Ford revelar que a Terra vai ser destruída para a construção de uma via espacial.

Ford é um viajante que escreve para o Guia do Mochileiro das Galáxias, e quando veio para a Terra escrever sobre ela, além de não ter conseguido escrever muito sobre ela (Escreveu apenas "Inofensiva"), também não conseguiu pegar carona para sair do planeta azul. Já Arthur Dent é um inglês monótono que preferia manter-se em casa, ou no jogo de críquete, do que ter que passar por tudo que precisa a partir daquele momento. Aos poucos, ele vai descobrindo com Ford sobre a galáxia, sobre os planetas, sobre como é esse universo que os terráqueos sempre estiveram imaginando como seria, mas que de fato nunca vivenciaram como é.


Logo em seguida depois de conseguirem escapar da Terra antes dela explodir, são salvos da maneira mais improvável por uma nave movida a improbabilidade, chamada Coração de Ouro, e dão de cara com Trillian (Ou Tricia McMillan), uma moça bonita e atraente que trocou Arthur em uma festa por um cara que se dizia ter vindo de outro planeta. Este cara realmente tinha vindo de outro planeta, seu nome é Zaphod Beblebox, o presidente da galáxia e recentemente autor do crime de ter roubado a Coração de Ouro. E por ultimo, mas não menos importante, Marvin, o robô depressivo - mais uma das improbabilidades do gerador de improbabilidade infinita da nave.



Um pouco sobre os cinco livros! E alguns pingos de Spoiler.

No primeiro livro “O Guia do Mochileiro das Galáxias” descobrimos o motivo pelo qual a Terra era tão importante e o que isso custou para descobrir a verdade sobre o número 42. O segundo livro “O Restaurante no Fim do Universo” mostra o como é possível viajar no tempo enquanto está no espaço e presenciar tanto o final do Universo (literalmente) quanto o inicio de tudo, no Big Bang Burguer Bar, afinal, sempre que isso é feito por uma nave como a Coração de Ouro, muitos dos planos das galáxias acabam por mudar, e dessa forma, é possível descobrir quem foram as primeiras pessoas a chegarem no Planeta Terra.

O terceiro livro chama-se “A Vida, o Universo e Tudo Mais” dá um desfecho sobre como Arthur e Ford conseguem sair da Terra Pré-História para poder salvar o Universo, de uma raça que poderia muito bem aniquilar toda a Galáxia (simples assim), e fariam isso apenas pelo fato de que olharam para cima e perceberam que não estavam sozinhos.

“Até mais, e Obrigado pelos Peixes” é um dos meus preferidos, o livro foge do contexto de correrias na galáxia, para um romance sossegado na Terra (em uma Terra que não explodiu por Vogons). Arthur conhece a garota perfeita para sí e aprende a ‘bugar’ a vida de tal forma que ele passa a voar. Alias, a frase "Até mais, e obrigado pelos peixes" é nada mais do que a mensagem que os Golfinhos deixaram para os terráqueos, depois de tantos anos tentando alertá-los sobre tudo. É isso aí, golfinhos não são deste planeta. 

A Trilogia de cinco livros escrita por Douglas acaba com “Praticamente Inofensiva”, que é o desfecho triste e irônico do personagem Arthur. Onde ele passa a ter uma vida monótona em um planeta onde ele passa a ser algo útil, e acaba recebendo a notícia de que é pai de uma menina tão ranzinza que faz seu universo girar de ponta cabeça.

O sexto livro da série foi escrita por Eoin Colfer, chamado "...E tem outra coisa", tão bom quanto Douglas Adams para continuar a história. Nesse livro, o grupo se reúne para lidar com Thor, o Deus que está com má fama na internet e precisa dar um jeito em algumas coisas - como ser Deus de um planeta! E tudo acaba se encaixando quando encontram um planeta onde possuem alguns terráqueos que haviam descoberto de que a Terra seria explodida por Vogons, e já haviam se preparado para partir. Brigas e disputas bobas acontecem entre os seres humanos e a causa disso é a religião. O livro deixa mais do que claro de que o fato de tantas disputas e guerras, nada mais é do que o grande fato de que terráqueos são imbecis, seja aqui na Terra ou em outro planeta.

Fim da torneira pingando Spoiler!

Ah, e quer saber sobre o filme do Guia do Mochileiro das Galáxias? Apesar de contar com o ótimo ator Martin Freeman (Bilbo) como Arthur Dent e com a linda Zooey Deschanel (de "Sim Senhor" ou "500 com ela") como Tricia, não, o filme não vale a pena. Pegue os livros e os leia como se não houvesse o amanhã!

Se você já leu o Guia do Mochileiro das Galáxias, deixe seu comentário embaixo, se ainda não sabia o motivo pelo qual o Dia da Toalha existia ou o motivo pelo qual a Toalha é tão útil, também, deixe o seu comentário. Compartilhe no facebook ou no twitter se achou o site e a postagem interessante!

Até mais!