GOTHAM - ANÁLISE DA PRIMEIRA TEMPORADA

Séries e TV | Por Lucas Fowl | Em 12/05/2015

A análise completa da série Gotham, da Fox, que trata-se do universo DC Comics, na cidade do Batman, porém, sem ele. A série dedicada a uma prolongada introdução aos vilões que por lá aparecem e as correrias e o dia a dia de um detetive muito (mas muito) honesto chamado James Gordon.


GOTHAM - ANÁLISE DA PRIMEIRA TEMPORADA

A Fox anunciou alguns detalhes da segunda temporada de Gotham (veja aqui), e nós aqui desse site apocalíptico ainda não fizemos nenhuma análise completa sobre Gotham, a série que chegou ao seu fim na semana passada. Afinal, dar um tempo aos telespectadores para assistir ao ultimo episódio é primordial, portanto, agora tudo que eu dizer já não será mais TÃO spoiler assim.

Gotham é uma série legal porém nem um pouco honesta consigo mesma. A pergunta incluída pelo Cavaleiro da Peste no post anterior onde contou sobre a Season Finale sobre Gotham não ter o Batman não é a grande questão - apesar de muita gente ter criticado a série por não contar com o homem morcego, para mim, isso não passa de pessoas com mente fechada o suficiente para assistir uma série sobre uma cidade famosa nos quadrinhos que se passa cerca de 20 anos antes do super herói estrelinha aparecer por lá.

Quando soube sobre a série Gotham, onde não haveria Batman e sim o detetive James Gordon no auge de sua carreira eu fiquei muito empolgado, achei que a série seria algo bastante semelhante a The Mentalist ou até mesmo a Sherlock Holmes, que a busca pelos bandidos de Gotham seria algo pensado, onde ele com a ajuda de policiais seguiriam rastros por diversos episódios até encontrar e prende-lo, pensava em uma série construída realmente nos assuntos policiais que surgiram por Gotham, e que neste meio tempo James seria envolvido é claro pela Máfia que existe na cidade cinzenta. Bem, eu estava quase certo, errei no fato de pensar que os casos seriam algo extremamente inteligentes e com um roteiro magnífico.

O que a série nos entregou foram "Vilões da Semana", descobertos depois de 35 minutos de perseguições policiais ou de algumas perguntas feitas aqui ou acolá, e a única peculiaridade que encontramos em Gordon não é a sua perspicácia, inteligência ou uma mente brilhante que seria substituída por Bruce Wayne vestido de Homem Morcego, e sim, um cara honesto no serviço errado. A série abusa muito de referencias a vilões que poderiam ser algo na série, ou um arco interessante, mas que só servem para tirar toda a magia que a Trilogia Christopher Nolan criou. A principio, achamos que a série Gotham seria um 'pré-trilogia Nolan', mas ao longo da série temos que ir engolindo fatos de que talvez já não seja mais isso, e que está sendo recriado um novo universo para o Batman que nem mesmo irá surgir na série.

O que acertei, e gostei de ver na série de Gotham foi o núcleo Mafioso. Digno de tocar a trilha sonora de O Poderoso Chefão. Fish Mooney, ambiciosa querendo tomar o trono do maior chefão da Máfia de Gotham Don Falcone, inimigo - porém com tréguas - com a Máfia de Don Maroni e a peça fundamental que faz o elenco dar certo: Oswald Cobblepot, conhecido também como Pinguim. Sinceramente, palmas para ele, roubou a cena durante a série toda!

Gotham é isso, pelo menos é o que víamos na antiga série animada de Batman (de Bruce Timm e Paul Dini), que carregava um ar frio, sombrio e noir, com gangsteres e máfias se encontrando no escuro e fumando em becos, a série de Gotham conseguiu reproduzir uma cidade cheia de politicagens, mafiosos e um ar cinzento, poluído que sinceramente instiga a assistir - e foi justamente esse o fato de eu assistir mais de 10 episódios sem depender de uma bala no meio da minha testa.

No mais, é uma série que vale a pena assistir? Antes de responder essa pergunta, precisamos responder a uma outra pergunta:

1) Você é realmente fã do Universo DC? 

Porque não basta ser fã do Batman, afinal ele não está lá para satisfazer os seus fãs, e também não basta ser fãs dos Vilões do Batman, os vilões aparecem na série como uma prolongada preparação para o que algum dia podem chegar a ser - Hera Venenosa é só uma pobre coitada, Harvey Dent tem transtornos bipolares mas não apresenta perigo (não enquanto tiver as duas partes do corpo iguais), a Mulher Gato, sendo a Adolescente Gato é só uma batedora de Carteiras e não vai enfrentar caras armados com um chicote na mão tão cedo e o Charada não passa do cara esquisito da série - que faz alguma coisa só no finalzinho. O único que realmente faz o seu papel como um vilão é Pinguim.

2) Você gosta de histórias de Máfia?

3) Você gosta de histórias de policiais extremamente previsíveis?

Se a sua resposta for "Sim" para alguma das três perguntas, então a série vale a pena ser assistida, do contrário, é só mais uma série para a coleção da Warner de 22 episódios à 40 intermináveis minutos cada episódio.

Alias, ouvi algumas pessoas chorarem porque normalmente as séries da Warner carregam 24 episódios e não 22 como Gotham. Eu não chorei, até comemorei, ganhei 80 minutos para assistiu outras séries mais interessantes!


Vamos ao resumo dos Atores e suas atuações:

James Gordon (Ben McKenzie), conhecido como o "carinha do The O.C", é um policial super honesto e com problemas com a mulher.

Harvey Bullock (Donal Logue), o parceiro de James Gordon, o detetive veterano que curte comer uns hotdogs pela cidade e caçar bandidos só depois de ter tomado umas ou outras - o tipico policial cansado da cidade e da bandidagem que nós vemos em filmes e séries por aí.

David Mazouz (Bruce Wayne), o pequeno garoto atua muito bem! Na série, Bruce Wayne é um detetive melhor que muitos detetives veteranos na delegacia.

Fish Mooney (Jada Pinkett Smith), a mafiosa que conquista os fãs por ser série, sagaz e objetiva em suas negociações e punições. Ao longo da série eu passei a torcer mais para ela e para o Pinguim do que para o James Gordon.

Alfred Pennyworth (Sean Pertwee), esqueça aquele Alfred, mordomo com cara de sono que conhecemos em todas as outras versões de Batman anteriores, esse é um tipo de "paizão" durão que ajuda a Bruce a se tornar gente.

Oswald Cobblepot, ou, o Pinguim (Robin Lord Taylor), roubou a cena durante a série toda, e se não fosse por ele, com certeza a série Gotham seria um fiasco. Acompanhar a tragetória do Pinguim ao poder da cidade e da máfia é cativante e estimulante. Como já disse, ao longo da série, você está torcendo por ele!

Barbara Kean (Erin Richards), a futura esposa de James Gordon. O elenco chato da série. Loira nos padrões de beleza americano que não faz a mínima diferença na série (só fode com o esquema de James diversas vezes). 

Em breve voltarei a falar sobre a segunda temporada e as noticias que já rodeiam a internet. 


E você? O que achou da série GOTHAM? Também ficou impressionado no primeiro episódio e foi perdendo o interesse ao longo dos episódios? Deixe seu comentário, precisamos debater mais sobre isso!